Destaque

Atividade no Catavento Cultural

Esse mês tivemos uma ótima atividade no Catavento, com a Alcateia e a Tropa Escoteira.

Contamos com a monitoria do amigo André, que ensinou muitas coisas para todos.

Meliponicultura

1. Fazer um relatório sobre abelhas sem ferrão, contendo:
a) As funções dos habitantes de uma colmeia;
b) A importância destes insetos para o meio ambiente;
c) A descrição de cinco espécies nativas do Brasil – preferencialmente do bioma onde o seu grupo escoteiro está inserido – apresentando: (1) Nome científico e popular (2) Foto (3) Bioma ou região de origem (4) Hábitos e (5) Fontes consultadas durante a pesquisa. Apresentar o trabalho para a sua matilha/patrulha.
2. Citar as principais diferenças entre abelhas e vespas;
3. Descrever quais são as funções do mel, do própolis e do pólen numa colmeia;
4. Fazer um resumo do conteúdo da Resolução CONAMA 346/2004, apresentando-o para a sua matilha/patrulha. Pesquisar também se há legislações específicas em seu estado e/ou cidade*;
5. Listar os principais predadores de uma colmeia e o que deve ser feito para afastá-los/controlá-los, sempre usando soluções ecológicas;
6. Pesquisar sobre os cuidados com uma colmeia, especialmente em épocas de seca e/ou escassez de florada;
7. Construir e instalar iscas para a captura de enxameações**;
8. Enumerar as condições ideais de um local para a instalação de uma colmeia;
9. Citar os tipos mais comuns de colmeias usadas na meliponicultura;
10. Construir uma colmeia apropriada para a espécie de interesse e transferir, com êxito, um enxame capturado**;
11. Acompanhar, por um período mínimo de três meses, o desenvolvimento da colmeia recém instalada. Apresentar um relatório para seu examinador.
12. Extrair o mel, de maneira que os potes de cerume sejam preservados para futuros armazenamentos**.
* Pré-requisito para prosseguir com os itens 7, 10 e 12.
** É recomendável a presença do avaliador nestas etapas. O uso de equipamento de proteção coletivo (EPC) e individual (EPI)
deve ser considerado.

Hidrografia

1. Saber interpretar uma carta náutica e plotar a derrota de uma singradura proposta pelo examinador.
2. Reconhecer e explicar aproximadamente 15 (quinze) elementos da Carta 12.000 (INT1).
3. Demonstrar domínio no uso da régua paralela e do compasso na plotagem de uma derrota, um ponto da derrota ou distâncias na carta náutica.
4. Apresentar para sua seção uma palestra sobre as seguintes Publicações de Auxílio à Navegação: Tábuas das Marés, Roteiro (da sua região), Almanaque Náutico, RIPEAM.
5. Mostrar, ao examinador, que é capaz de transpor para a carta náutica correspondente alteração do Folheto Quinzenal de Aviso aos Navegantes (Avisos Permanentes, Preliminares e Temporários).
6. Conhecer o Sistema de Balizamento da IALA “B” fazendo uma demonstração em sede.
7. Demonstrar que conhece o conteúdo e a forma de transmissão dos diferentes tipos de Avisos – Rádios Náuticos: Avisos Costeiros, Avisos Locais, Avisos NAVAREA e Avisos SAR.
8. Saber identificar em uma carta náutica ou apresentar imagens de no mínimo 10 Faróis de nossa costa.
9. Visitar a Diretoria de Hidrografia e Navegação, ou um Navio Hidroceanográfico ou um Farol, explicando o trabalho que executa.

Engenharia Aeronáutica

1. Demonstrar com um experimento simples o princípio de sustentação das asas.
2. Demonstrar com um experimento simples o funcionamento de um aeróstato, e como sua altitude pode ser controlada.
3. Apresentar a planta em 3 vistas de uma aeronave projetada ou fabricada no Brasil, destacando na figura a fuselagem, asa, empenagem, trem de pouso e motores.
4. Apresentar a vista superior de três modelos diferentes de asas de aviões, sendo uma para voo supersônico, uma para planadores, e uma terceira à escolha do examinador, destacando as características que privilegiam seu uso.
5. Descrever o funcionamento dos motores a reação, destacando a aplicação, as semelhanças e as diferenças entre os diversos
tipos (turbojato, turbohélice, turbofan, pulsojato, scramjet).
6. Discutir com o examinador alguns fatores da operação e do projeto que influenciam o alcance e o consumo de combustível de uma aeronave.
7. Montar uma tabela comparativa entre (ao menos) cinco aeronaves, destacando alguns valores de projeto (altura, comprimento, envergadura, superfície da asa, peso vazio, peso máximo na decolagem, força de empuxo ou tração). Calcular e colocar na tabela as razões como relação peso/empuxo ou tração, peso/superfície alar, superfície alar/envergadura.
8. Sozinho ou em equipe, reproduzir em isopor, madeira ou papelão com desenho e colagem, o painel de um avião com pelo menos 5 instrumentos analógicos (convencionais). Expor para a seção o painel explicando a função e o princípio de funcionamento de pelo menos 3 destes instrumentos.
9. Construir uma versão simplificada de um “horizonte artificial” funcional, que permita visualizar a inclinação do instrumento em dois eixos (arfagem e rolagem).
10. Explicar o que é a barreira do som e o que acontece quando uma aeronave ultrapassa Mach 1.0.
11. Explicar porque os telefones celulares e outros aparelhos eletrônicos devem ser desligados nos procedimentos de pouso e decolagem das aeronaves.
12. Construir sozinho ou em equipe um modelo de aeronave (avião ou helicóptero) que responda aos comandos de uma cabine (manetes, manche, pedais) no movimento do modelo em seus três eixos, ou nas superfícies de comando (leme de direção, profundor, aileron). O modelo pode ser construído em bambu ou palitos usando técnicas de pioneiria, ou em madeira, papelão e isopor utilizando técnicas de aeromodelismo, ou qualquer outra técnica.

Ferramentas de Corte

1. Identificar 6 tipos de ferramentas de corte e sua finalidade de utilização.
2. Demonstrar como afiar e conservar 4 tipos de ferramentas de corte, entre elas faca e machadinha.
3. Demonstrar as formas de utilização de um canivete multifunção e de uma faca estilo punhal.
4. Demonstrar a forma de condução de canivetes e facas.
5. Demonstrar a forma de utilização de um facão, machadinha e machado.
6. Construir uma bainha, em couro ou material similar, para faca e facão.
7. Demonstrar a forma de condução de facão, machadinha e machado.
8. Demonstrar a forma de utilização de um serrote.
9. Conhecer as regras de segurança para manuseio de ferramentas de corte e construir um canto do lenhador conforme
regras de segurança.
10. Descascar de forma correta, com emprego de canivete e faca, 2 laranjas e 2 maçãs.
11. Construir, com emprego da faca, dois espetos para assar ovo.
12. Construir, com emprego de facão e machadinha, no mínimo quatro estacas para emprego em toldo, demonstrando a rigidez e utilidade da obra construída.